CORREIO DO POVO
PORTO ALEGRE, SEGUNDA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2008

Roteiro da arte coletiva



O circuito de artes plásticas conta com exposições e projetos coletivos em diferentes espaços, já abertos ou com inauguração nesta semana. Será inaugurada amanhã, às 19h30min, no Espaço Alternativo Atelier Livre (Érico Veríssimo, 307), 'Laboratório de Criação: Ensaios'. Participam Clô Carvalho, Eliane Bruél, Guilherme Axelrud, Ilda Apel, Ivone Laurent, Ricardo Takeda, Silvia Giordani, entre outros. Os trabalhos são desenvolvidos em diferentes técnicas e temas, sob orientação de Ana Flávia Baldisserotto. A visitação fica aberta até o próximo dia 31, sempre das 9h às 21h.

Na quarta, dia 3, às 20h, será realizado o coquetel de abertura do projeto Videoarte nos Jardins do Dmae (24 de Outubro, 200). Em sua quarta edição, o projeto reúne artistas e arquitetos para a montagem de uma instalação ao ar livre, dedicada à experimentação no campo do audiovisual. Desta vez, a obra que será exibida é 'Anaesthetics', do artista e designer de moda Hussein Chalayan, e o filme 'Triangulum', de Gustavo Jahn e Melissa Dullius. Ambos serão projetados em uma estrutura concebida pelo arquiteto Bernardo de Magalhães. De terças a sextas, das 20h às 22h, até 28 de dezembro.

Mais alegórico e abstrato que os trabalhos anteriores de Hussein Chalayan, o vídeo 'Anaesthetics' trata do modo como a violência é camuflada em diferentes sociedades por meio de rituais estéticos. Em um lugar similar a um laboratório, experimentos misteriosos são realizados em 11 cenas altamente estilizadas; mudanças e metamorfoses determinam a atmosfera pela transformação de diferentes vestimentas de coleções de Chalayan e seus objetos feitos em madeira.

O cipriota Hussein Chalayan migrou para a Europa Central bastante jovem, estabeleceu-se em Londres na década de 90 e passou a atuar como designer de moda lançando coleções experimentais. Elas já foram compostas por roupas que haviam sido enterradas em seu jardim; burcas em tamanhos decrescentes que, ao final, deixavam o corpo nu à mostra; vestidos de papel que se transformavam em envelopes; e roupas acionadas por controle remoto. Chalayan já expôs em Paris, Londres, Istambul, Nova Iorque, Chicago e Amsterdã.

Em cartaz, na Sala Maurício Rosenblat, da CCMQ (Andradas, 736), a coletiva 'Lado B', que reúne obras de vários artistas em técnicas como colagem, desenho, fotografia e pintura. Entre os participantes estão Aida Ferrás, Ana Carolina Malcon, Cacaio Praetzel, Flavio Amaral Lima, Izabel Benevides e Renato Rosa. A artista Elizethe 'Lou' Borghetti também participa. Com visitação, até o dia 7 de dezembro.

Artesanato
PORTO ALEGRE, TERÇA-FEIRA, 5 DE FEVEREIRO DE 2008

Professoras de todo o Estado, como Margot Volpini, promovem em Capão de Canoa o exercício da criatividade nas férias.


Programa de verão

Em cursos e workshops ministrados no 3° Encontro de Arte Decorativa no Litoral, em Capão da Canoa, a artista plástica Margot Volpini leva um pouco da própria casa.
Professora de minivitrinas, entre outras técnicas, a artista decora os pequenos ambientes com elementos também encontrados nas duas moradoras da família, em Porto Alegre e na praia. Gatos, lavandas, violetas e temperos são pintados delicadamente com tinta PVA no fundo das caixas de 30cmX25cm, usadas como cenários para os jardins apresentados nas turmas do Litoral. As paredes, inclusive, são os pontos mais detalhados por Margot, com janelas e paisagens.
- Insisto muito com as minhas alunas na importância desse acabamento. É um diferencial no trabalho
- afirma a exigente professora, que não poupou nem as cristaleiras com louças brancas, releitura da encontrada no seu apartamento.
Reforçam a linha jardim as casinhas de passarinhos, compradas prontas ou sob encomenda, pintadas e decoradas pela profissional. Uma das peças, com acabamento enferrujado, fez parte do trabalho de conclusão de um curso de pintura decorativa, na Argentina, país que Margot visita com freqüência, em busca de novas técnicas.
Até o dia 28 de fevereiro, vitrinas, pinturas em porcelana, madeira ou cerâmica, trabalho com cipós, reciclagem e outros processos serão ensinados por 15 professoras, de diferentes regiões do Estado. Um exercício criativo para complementar as férias de verão.



Zero Hora/DOMINGO/13/JANEIRO/2008

Jornal de Verão

Verão inteiro na praia ainda tem adeptos

Veranista em tempo integral

Há uma espécie em extinção no litoral norte. Não são os mariscos, nem as corujas, tampouco os papa-terras. É o veranista de temporada, aquele que se muda para a praia em dezembro e só volta para casa em março.

Para a maior parte das pessoas, o veraneio é cada vez mais curto. Os aluguéis de verão dificilmente passam de 15 dias, conforme Noemia Reckziegel, proprietária da Central de Aluguéis, de Capão da Canoa. Nos últimos cinco anos, tornaram-se raros os clientes que chegam a passar um mes na praia. Quem tem imóveis à beira-mar aproveita nos finais de semana. Os que ficam vêem o fluxo de pessoas diminuir na segunda-feira e aumentar na sexta. Mas um pequeno grupo de veranistas-tatuíras insiste em manter a tradição do verão integral, apesar das dificuldades.
-Eu, que jogava futebol, não tinha a menor dificuldade de chegar à praia e montar dois times, qualquer dia, de manhã ou de noite. Agora, não dá mais – conta o comerciante Selmar Nunes, de Gravataí, dono de uma casa em Jardim Atlântico.
Zero Hora localizou e apresenta nestas páginas algum dos últimos exemplares da espécie em extinção.

ESCRITÓRIO NA PRAIA

A temporada de verão é um misto de férias e trabalho para a artista plástica Malu Soeiro, de Porto Alegre. Pelo terceiro ano consecutivo, ela viajou a Capão da Canoa para o Encontro Internacional de Arte Decorativa no Litoral, que ajuda a coordenar, além de dar aulas de técnicas de pinturas especiais todos os dias. O evento começa às 16h e termina à meia-noite, ou seja, dá tempo de fazer tudo o que um veranista faz: caminhar na praia, tomar banho de sol, encontrar os amigos e sair para jantar.
O encontro começou em dezembro e vai até 28 de fevereiro. Neste período, Malu fica hospedada em um hotel de Capão da Canoa com serviço de praia. Precisando de uma cadeira ou de uma toalha, é só fazer um sinal. Na quinta-feira, Malu pegou uma praia com outra professora de artes Izabel Benavides, que tem casa em Xangri-lá.
-Em Porto Alegre, a gente não tem a oportunidade de se encontrar, de se curtir, de se visitar. A gente vem para trabalhar mas volta bronzeada, sarada. Tem muita coisa para fazer aqui. E muitos amigos - festeja Malu.


Artesanato
PORTO ALEGRE, TERÇA-FEIRA, 20 DE NOVEMBRO DE 2007

Arte Francesa com cópias de capas de álbuns dos Beatles dita o ritmo do trabalho de Izabel Benavides


Presente da sorte

Ao atravessar a faixa de segurança para a foto de capa do álbum Abbey Road, lançado em 1969, a lendária banda inglesa The Beatles registrou a imagem que dividiu o trabalho da artista decorativa Izabel Benavides, Hoje, a relações-públicas formada pela Pontifícia Universidade Católica (PUCRS) destaca com carinho o antes e o depois do quadro de arte francesa com a capa do 12° disco do quarteto de Liverpool.
- Meu marido, Alfredo, é apaixonado por música e pediu o quadro de presente. Eu, que sempre quis fugir de flores e paisagens, topei na hora. Um dia participei de uma exposição e o Abbey Road foi o primeiro a ser vendido. Nunca mais deixei de fazer esse modelo, que é um sucesso – afirma Izabel, fã de Elis Regina, que fez outra peça semelhante para não deixar o esposo sem o talismã.
Este e outro LPs resultaram em série que vai do Yellow Submarine (canção e filme psicodélico lançados pela banda) ao Sgt. Peppers, trabalho premiado na 8ª Convenção de Pintura e Arte Decorativa, na categoria Iniciante, realizada em junho deste ano, no Uruguai.
Para os quadros, Izabel utiliza as capas e os CDs originais, com cópias em papel coucher, com brilho e 170 de gramatura. No mínimo cinco “ lâminas” são usadas para cada criação, conforme de detalhes.